ANIVERSÁRIO DA AGRESIÓN A GAZA
18/12/2009

"Aproxima-se a data que assinala o 1º aniversário do início da criminosa incursão militar israelense contra a população palestiniana da Faixa de Gaza. Assim, o Conselho Português para a Paz e Cooperação e outras organizações decidiram marcar uma Vigília frente à embaixada de Israel em Lisboa.

Será no dia 27 de Dezembro, entre as 15h e as 19 horas.

O objectivo é evocar o massacre de Gaza, apelar ao apuramento da responsabilidade pelos crimes de guerra e crimes contra a Humanidade e exigir o levantamento do cerco ilegal a Gaza. Compareça.", informa resistir.info.

Ler o artigo completo


TORTURAS E ABUSOS NA ÚNICA DEMOCRACIA DE ORIENTE PRÓXIMO
18/12/2009

En Xullo de 2008 unha nena palestina de 14 anos, armada con unha cámara doada polo Centro de Información de Direitos Humanos israelita, B'Tselem, documentava o momento en que o Exército de Defensa de Israel detiña o manifestante Abu Rahama (28 anos) e o momento en que, por orde do comandante, con o prisioneiro alxemado e cegado por unha venda nos ollos, un soldado lle disparava nunha perna.
O carácter inesperado do vídeo da xoven tivo grande repercusión nos média de comunicación israelitas por tratar-se de un dos poucos abusos que se logrou documentar e filtrar. Foi por esta razón que B'Tselem deu cámaras aos residentes de Cisxordánia, vítimas permanentes do exército e os colonos e sen cobertura dos média.
Como non podia escusar-se nen desacreditar o vídeo, o exército abriu un expediente militar para investigar os feitos, condenou o soldado a 11 dias de arresto e fechou o asunto. Fechou-no no que aos criminais de guerra implicados di respeito, xa que en represália pola gravación, o pai da xoven foi detido vários dias. Unha semana despois Ahmed Musa (11 anos) foi asasinado de un disparo nun acto de protesta similar na mesma aldea e outro xoven, de 18 anos, foi asasinado no enterramento.
Hoxe, mais de un ano decorrido desde a gravación e, despois de as eleicións teren levado ao poder os sinceros, o exército goza de maior liberdade para actuar sen ter que se encobrir ou mentir demasiado, o que permitiu que onte entrase na casa da família Caanan, a nena que hai un ano demonstrou o mal trato a Abu Rahama.

A mesma xoven dixo a Ideot que às 3:30 a.m. o exército irrompeu na casa, despois de partir  os vidros do automóvel que estava estacionado diante. "Non deixaron  nengun vidro inteiro na casa, romperon as xanelas e absolutamente todo", acrescentou o seu irmao, Arafat Rahama. "Utilizaron altofalantes e berravan: 'Somos o exército israelita! Somos o exército israelita!' sen dar mais avisos ou explicacións do que querian.
Segundo o irmao, a nai desmaiou durante a agresión, os soldados bateron no pai e detiveron os tres irmaos. Os cans do exército tamén fixeron o seu traballo causando destrozos. Arafat di que pensa tratar-se de unha vinganza polo vídeo que filmou a irmá. "Se queren deter alguén veñen e deteñen-no, mais destruir un lar completo só para deixar a citación no Servizo de Intelixéncia (Shin Bet) para min e o meu irmán, demonstra que o que os movia era un sentimento de vinganza polo vídeo" declarou a Yeot.
O xoven acrescentou que a irmá documentara os danos e a irrupción dos soldados e que estes a ameazaron para que deixase de filmar. Afirma tamén que o incidente é unha tentativa de o intimidaren para que el mesmo deixe de gravar as manifestacións e a actividade militar na zona.
Este é o prezo habitual por mostrar a verdade nesta democracia, un prezo similar ao que paga a família de un terrorista suicida. Encanto as autoridades israelitas igualen a represión contra os militantes armados, pacíficos e xornalistas, as posibilidades de se incrementar a militanza armada ou o terrorismo aumentarán. Esgotadas as vias legais, falida a apelación à comunidade internacional e anulado o direito a denunciar, o terrorismo converte-se nun método de resisténcia cada vez mais tentador e talvez en breve o único.

Ivan Vanney - Rebelión 18/12/09

Ler o artigo completo


CONSECUÉNCIAS DA AGRESIÓN A GAZA
18/12/2009

O Grupo Newweapons fixo públicas as conclusións da sua análise sobre o contido de 35 elementos presentes en catro dos cráteres provocados por catro bombardeamentos do exército israelita sobre Gaza: dous en 2006 e outros dous en 2009. O mesmo grupo de científicos analisou tamén o pó que restava no interior do proxéctil de unha bomba de fósforo branco que estourou en Al-Wafa en Xaneiro de 2009, a THS89D112-003 155MM M825E1, informa o Tribunal de Bruxelas.
Nas suas conclusións, o grupo científico sublinha que o uso de artefactos como este, que conteñen e estenden até distáncias descoñecidas elevadas cantidades de metais tóxicos levanta sérias preocupacións sobre a actual poluición no solo de Gaza.
As condicións de vida da populación deslocada, que habita nese médio mui perto do chan, expoñen as persoas a posíveis contaminantes que poden receber através da pel, ao respirar e ao consumir alimentos. O grupo científico insiste na necesidade de realizar novos e mais completos estudos e difundir práticas que palien o efeito desta poluición, sobretodo nas persoas en idade reprodutiva e as crianzas, porcanto os efeitos crónicos da poluición por metais pode afectar à fertilidade e producir malformacións nos fetos, asi como afectar o desenvolvimento neurolóxico das crianzas.

Ver aqui o mapa dos cráteres analisados.

 

 

Ler o artigo completo


CONVOCATÓRIA CONTRA A POLÍTICA PENITENCIÁRIA
18/12/2009

Sob o lema "Os ricos mais ricos, os pobres mais presos", diversos colectivos de apoio às persoas presas convocan para o sábado dia 19 de Decembro unha marcha à prisión de Teixeiro. O ponto de encontro está fixado na gasolineira do polígono de Teixeiro às 18 horas.

Os convocantes pretenden denunciar con esta marcha a política penitenciária que conduz ao armacenamento de seres humanos en centros de reclusión, o carácter discriminatório e clasista desa política e as suas consecuéncias dramáticas para as persoas recluídas.

Ler o artigo completo


POR ABUSO SEXUAL CONTRA UNHA PRESA
17/12/2009

A Audiéncia Provincial de Araba condenou a un ano de prisión e seis meses de inabilitación absoluta o ex-director de Seguranza do cárcere de Langraitz, Mariano Merino Alovera, por un delito de abuso sexual, no exercício da sua función, contra unha presa, à que deverá pagar 3.000 euros.
A Audiéncia absolve o acusado de outros tres deitos de abuso sexual.
Ver aqui un resumo da sentenza onde se recollen os feitos provados.

Ler o artigo completo


OS ACUSADOS DENUNCIAN TORTURAS
16/12/2009

Hoxe, 16/12/09, comeza o xuízo contra Martxelo Otamendi, Iñaki Uria, Xabier Oleaga, Joan Mari Torrealdai e Txema Auzmendi, acusados de pertenza a ETA por dirixiren o primeiro diário en euskara, apesar de o procurador Miguel Ángel Carballo ter pedido o arquivo da causa por entender que non existen provas.

O primeiro en declarar foi Iñaki Uria quen, en resposta a perguntas do seu advogado, relatou as torturas a que teria sido submetido (bolsa na cabeza até producir asfíxia, amezas con pistala na cabeza e simulacrode disparo, utilización de armas infravermellas, pancadas con lista de teléfonos).

Mais información aqui.

Ler o artigo completo


SETE IMPORTANTES ONGs PORTUGUESAS
16/12/2009

EPAL assina acordo com empresa do estado nazi-sionista
por CPPC
 Várias organizações portuguesas de direitos humanos, de solidariedade internacional e de intervenção cívica organizaram uma delegação conjunta para expor aos grupos parlamentares da Assembleia da República as implicações do acordo assinado entre a EPAL (Empresa Portuguesa das Águas Livres) e a empresa israelense de exploração e distribuição de água Mekorot . Numa iniciativa inédita, justificada pela gravidade desse acordo, as seis organizações subscritoras, tinham-se reunido para delinearem a orientação geral duma campanha que vai agora começar.

A notícia do acordo entre a EPAL e a Mekorot surgiu pouco tempo depois de a Amnistia Internacional ter divulgado um relatório de grande impacto mundial sobre o esbulho da água palestiniana pelos ocupantes israelenses. Outros relatórios muito recentes têm salientado como as sucessivas reduções do consumo de água per capita levam a uma inexorável degradação dos padrões de saúde da população palestiniana.

O relatório Goldstone sobre os crimes de guerra, aprovado na ONU, e o mandado de captura da justiça britânica contra a ex-ministra israelense dos Negócios Estrangeiros, Tzipi Livni, vêm sublinhar o quanto a ocupação israelense tem vindo a suscitar o isolamento internacional da potência ocupante. Foi neste contexto que a EPAL se prestou a furar o repúdio internacional e a oferecer à Mekorot uma testa-de-ponte que desesperadamente procura na União Europeia. Por isso, a EPAL se tornou o alvo duma campanha internacional e será nos próximos meses apontada a dedo como exemplo do que não deve fazer-se. Tratando-se duma empresa pública, a responsabilidade dos seus actos envolverá também o ministério da tutela e todo o governo português. Conta-se com a intervenção de várias personalidades e organizações internacionais de renome nesta campanha.

A coligação de organizações que agora lançam a campanha em Portugal trocou já alguma correspondência a este respeito com o Conselho de Administração da EPAL, correspondência essa que no entanto se revelou infrutífera. O mesmo sucedeu com o Ministério do Ambiente. Segue-se agora uma ronda de reuniões com os partidos parlamentares, que irá iniciar-se na 4ª feira, às 14h30 e prosseguir na 5ª feira, às 18h. Os primeiros partidos visitados pela delegação serão o PCP o BE e o PEV.

Convidamos a imprensa falada e escrita a estar presente, para lhe serem comunicadas as conclusões dos encontros.

Amnistia Internacional (secção portuguesa)
Associação Água Pública
Comité de Solidariedade com a Palestina
Conselho Português para a Paz e Cooperação
Movimento para a Paz no Médio Oriente
Fórum para a Paz
Tribunal do Iraque (audiência portuguesa) 

Fonte: resistir.info

 Ver aqui o vídeo.

Ler o artigo completo


POR VIOLACIÓN DO ART.6.1 DO CEDHH
16/12/2009

"O Tribunal Europeo de Dereitos Humanos condenou a España na demanda presentada por un cidadán de Bocairent (Valencia) cuxo recurso de casación foi admitido en 1999 polo Supremo e, case 4 anos despois, rexeitado por falta de datos. O fallo da Corte de Estrasburgo establece que España violou o artigo 6.1 do Convenio Europeo de Dereitos Humanos, que establece o dereito a que unha causa sexa ouvida de xeito equitativo, publicamente e dentro dun prazo razoable.", informa Galiciaé.

Ler o artigo completo


POLA OFENSIVA NA FAIXA DE GAZA
16/12/2009

"A justiça britânica emitiu um mandado de captura contra a ex-ministra israelita dos Negócios Estrangeiros devido ao seu papel na ofensiva militar na Faixa de Gaza, há um ano. A polémica decisão provocou um grave conflito diplomático entre Londres e Telavive.

Tzipi Livni era ministra dos Negócios Estrangeiros durante a operação contra o Hamas, movimento palestiniano. A actual líder da oposição, que está longe das facções radicais na política israelita, cancelou uma viagem a Londres para não ser detida e o mandado acabou revogado.", informa DNGLOBO.

Ler o artigo completo


SEVERA DENÚNCIA DA CEAR
16/12/2009

Unha equipa de investigadores coordenada por CEAR e dirixida polo psiquiatra Pau Pérez visitou os Centros de Internamento de Estranxeiros para analisar, entre outras cuestións, as condicións físicas das persoas internas nestes centros, o tratamento e a atención médica que receben, as suas posibilidades de comunicación con o exterior e a atención que se presta a grupos vulneráveis.
O resultado é o relatório que agora apresenta a CEAR en que se dá conta do severo impacto que sobre a saúde física e mental das persoas internas ten a estadia nestes centros. O estudo inclui informes sobre maus tratos nos CIEs de Madrid e Valéncia e recolle unha análise do cadro legal en que operan os responsáveis, perfis das persoas detidas e mensaxes que estas queren facer chegar à cidadania.

Ver aqui o relatório.

Ler o artigo completo